Shigeru Ban ganha o prêmio Pritzker 2014

image

E o prêmio Pritzker chega ao século XXI.
Shigeru Ban é o ganhador do Pritzker de 2014. O prêmio é o mais importante da Arquitetura. No julgamento é analisada a relevância de todas as obras do Arquiteto.
A vitória Ban pode representar uma guinada na história do Pritzker. Desde 1979 ele esteve vinculado ao surgimento dos chamados starchitects.  Arquitetos cujas assinaturas são valorizadas marcas no mercado mediático mundial. Muitos dos trabalhos laureados se caracterizam por uma extravagância formal, rapidamente explorada e consumida pela mídia e por investidores internacionais.
Ainda que a obra de Ban possua exemplares que se enquadram na descrição acima, em especial o Centro Pompidou de Metz, a maior parte de seu trabalho recente aponta para outros caminhos.
Desde o início de sua carreira o arquiteto japonês desenvolveu uma série de construções em estrutura de papelão tubular. Deste período duas obras merecem destaque: o pavilhão japonês para a Expo Hannover de 2000, e o Nomadic Museum de 2005. A primeira obra fora projetada para ser integralmente reciclada ao final do evento, enquanto a segunda era um exposição fotográfica itinerante, transportada dentro de containers de navio.
Mas o elemento fundamental na obra de Ban é a aplicação de toda o seu rico repertório arquitetônico em projetos sociais relevantes. Aliando qualidade arquitetônica, baixos custos, prazos exíguos e construção participativa, Ban realiza centenas de trabalhos em regiões pobres da China, Sri Lanka e Índia. No final do milênio passado ele construiu abrigos temporários para os refugiados de Ruanda. Regiões devastadas por catástrofes naturais, como Áquila, Kobe ou Haiti também possuem obras de Ban.
Por tudo isto, talvez, Shigeru Ban seja o arquiteto mais conectado ao mundo em que vivemos. São poucos os que ousam enfrentar os desafios aceitos por Ban. Seu trabalho se traduz em gestos de generosidade, afeto e beleza, para com as vítimas de nossas crises globais: a financeira, a ambiental e a política. Um planeta em conflito.
Diante deste angustiante cenário as obras de Shigeru Ban são uma réstia de otimismo.

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em História da Arquitetura e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s