Em São Paulo, novas faixas tornam os ônibus mais rápidos do que os carros

Segundo o Estadão as novas faixas de ônibus da avenida 23 de Maio tornaram os ônibus mais rápidos do que os carros. Segundo o jornal os coletivos percorrem o trecho de 23 km do Terminal Capelinha até a praça da Sé em 1h50, trinta minutos mais rápido do que os automóveis. Até o momento foram instalados 60 km de faixa e ao final do ano a Prefeitura pretende atingir 220 km, segundo a Rede Brasil Atual.

Este pode ser o início de um processo que reverta os históricos privilégios concedidos aos automóveis durante o desenvolvimento da Cidade de São Paulo. Ao longo dos últimos 70 anos rios, matas, parques e edifícios históricos, foram destruídos para dar lugar aos carros. O transporte público foi negligenciado. A mancha urbana se expandiu rumo às periferias aumentando o tamanho e a quantidade das viagens dos paulistanos, especialmente dos mais pobres.

São Paulo se transformou em uma cidade dependente do carro. Seu uso exaustivo e o aumento da frota nos últimos anos levou a cidade ao limite. 90% da poluição do ar sai dos escapamentos dos veículos que circulam pelas ruas de São Paulo. Montanhas de recursos públicos são gastos anualmente na expansão e manutenção do imenso sistema viário paulistano. E ainda assim os congestionamentos alcançam os 300 km de extensão.

As novas faixas qualificam o transporte público de São Paulo. Elas servem de incentivo para que os usuários dos ônibus permaneçam dentro do sistema. Com os ônibus mais rápidos do que os carros, diminui o número de interessados em migrar para o transporte individual. Claro que a contrapartida destas melhorias é a diminuição da velocidade dos carros, que acabam por perder espaço nas avenidas com faixas exclusivas. Mas é impossível transportar 20 milhões de pessoas por meio de carros, pelas ruas e avenidas de São Paulo. Medidas simples (e baratas) como esta, mostram que a cidade pode ter uma outra matriz de mobilidade urbana.

Que esta seja apenas a primeira mudança neste sentido.

Anúncios

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em Urbanismo e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s