Roteiro de carro pelas ruínas das missões jesuíticas guaranis

Para quem mora em São Paulo visitar as ruínas das Missões Jesuíticas é uma verdadeira epopéia. Se perguntarmos ao Google, ele informa que São Miguel das Missões dista 1.203 km até São Paulo, 808 km até Curitiba e 499 km até Porto Alegre. Passo Fundo, cujo aeroporto tem voos diretos para São Paulo, está a 252 km de distância. Ao mesmo tempo existem outras ruínas excepcionais na Argentina e no Paraguay, a cerca de 300 km de São Miguel das Missões.  Os serviços de ônibus entre as várias ruínas ficam restritos às excursões organizadas por agências de turismo. Deste modo o carro se transforma na melhor alternativa para se conhecer a região.

O roteiro a seguir permite visitar as quatro mais significativas ruínas jesuíticas guaranis, todas tombadas pela Unesco: São Miguel das Missões no Brasil, San Ignacio Miní na Argentina e as paraguaias Trinidad e Jesús de Tavarangue. Como levei a família toda comigo, bolamos um passeio que, democraticamente, atendesse a todos os interesses.

Antes de prosseguir algumas informações fundamentais. Argentina e Paraguais fazem algumas exigências para que brasileiros entrem em seu respectivos territórios de carro:

1. O veículo deve ser conduzido pelo seu proprietário ou por alguém autorizado por ele. Veículos com financiamentos pendentes não são permitidos.

2. É obrigatório levar um endosso de seu seguro, indicando as datas e os países que serão visitados. É a chamada carta verde. Solicite-a à sua seguradora.

3. Leve a carteira de habilitação brasileira. Também é exigido o documento de identidade (RG) atualizado ou o passaporte.

4. São exigidos como equipamentos de segurança do veículo um triângulo extra e cambão ou cabo de aço para reboque.

5. Por fim, a mais mórbida exigência feita exclusivamente pelas autoridades paraguaias: lençóis brancos a serem eventualmente utilizados como mortalhas.

Dito isto, vamos ao roteiro:

sul geral

1° Dia – São Paulo/ Penha

Distância percorrida  590km      Total percorrido        590km

8:50 – Saída de São Pauloç

11:20/11:50 – Parada em Registro

16:00 – Chegada em Penha SC

16:45 – Beto Carrero, sem filas.

19:00 – Ida à Praia Vermelha

A Régis está quase toda duplicada com exceção do infeliz trecho da Serra do Cafezal. Como havia pouco movimento na estrada, em especial de caminhões, este primeiro trecho foi tranquilo.

2° Dia – Penha/ Caxias do Sul

Distância percorrida  500km      Total percorrido        1.090km

09:20 – Beto Carrero

16:00 – Saída de Beto Carrero

17:30 – Parada no Posto da Fiscalização da Fazenda Estadual de Apiúna SC

20:00 – Passagem por Lages SC

23:58 – Chegada à Caxias do Sul RS

Caminho belíssimo cruzando a Serra Catarinense. Após um dia de intenso calor e oito horas de estrada chegamos à Caxias no meio de uma frente fria que mudou completamente o clima. Após a divisa com o Rio Grande do Sul a estrada torna-se sinuosa e estreita.

3° Dia – Caxias do Sul/ Gramado/ Caxias do Sul

Distância percorrida  167km      Total percorrido        1.257 km

10:00 – Manhã com a molecada na piscina.

14:30 – Almoço no Galeto di Paolo. Ok.

16:00 – Saída para Gramado

17:30 – Chegada à Gramado

18:00 – Chocolate quente na Prawner. Bom.

20:30 – Fondue no Le Chalet de la Fondue. Bom.

22:15 – Saída para Caxias

23:30 – Chegada à Caxias

O frio nos obrigou a compras de roupas mais adequadas aos dois dias de inverno que enfrentamos. Gramado é uma cidade com muitas opções de compras que não me despertou maior interesse.

4° Dia – Caxias do Sul/ Bento Gonçalves/ Caxias do Sul

Distância percorrida  105 km      Total percorrido        1.362 km

10:30 – Saída para Bento Gonçalves

11:40 – Primeira parada no Vale dos Vinhedos: Visita e degustação na Vinícola Valduga. Ótimo.

13:30 – Almoço na Casa de Madeira. Ótimo.

15:30 – Café e chocolates no Vivatto Parque. Bom.

16:00 – Vinícola Don Laurindo.

17:00 – Loja da fábrica da Tramontina. Decepcionante. Muitos dos produtos são mais caros do que na s lojas.

O clima frio aumentou o apetite para a boa mesa do Vale dos Vinhedos. A paisagem do lugar impressiona, com suas parreiras, araucárias e velhas casas de madeira. Passeio imperdível.

5° Dia – Caxias do Sul/ São Miguel das Missões

Distância percorrida  462 km      Total percorrido        1.835  km

08:11 – Saída para São Miguel das Missões

09:30 – Parada em Veranópolis no km 186 da RSC 470, para admirar o mirante do fantástico Vale do Rio das Antas.

12:40/13:30 – Almoço no restaurante Billy em Carazinho. Ok.

16:00 – Chegada à São Miguel das Missões

17:00 – Visita às ruínas

21:30 – Audio visual nas ruínas. Decepcionante.

O trecho inicial entre Caxias e Passo Fundo foi muito desgastante. Cerca de 4 horas para rodarmos 210 km. Curvas e caminhões em excesso explicam o problema. A partir de Passo Fundo tudo se modifica e a viagem seguiu tranquila. As ruínas das Missões valema viagem. O show de luzes e som não.

6° Dia – São Miguel das Missões/ Posadas/ Trinidad e Jesús de Tavarangue

Distância percorrida 394 km      Total percorrido        2.229 km

08:15 – Saída para Posadas

09:40 – Balsa para a Argentina em Porto Xavier

12:30 – Chegada à Posadas

14:00 – Saída para as ruínas de Trinidad no Paraguay

15:30 – Chegada em Trinidad

17:30 – Chegada em Jesús de Tavarangue

20:00 – Chegada à Posadas

Por sorte chegamos em Porto Xavier, o melhor local para atravessar a fronteira,  justamente no momento de saída da balsa para a Argentina. Se a perdêssemos teríamos que esperar mais uma hora. Após a balsa fizemos o mais complexo tramite aduaneiro da viagem. Tivemos que preencher uma Targeta de Migración, nossa bagagem foi vistoriada e foi aqui, o único lugar onde nos pediram a carta verde. A partir de San Javier seguimos pelas boas estradas argentinas até a cidade de Posadas, capital da província de Missiones. Após o almoço descarregamos toda a bagagem no hotel, e seguimos para a ponte que cruza o rio Paraná na direção do Paraguay. Pegamos nossa papelada na aduana e seguimos pela cidade de Encarnación, que possui um comércio muito semelhante ao de Ciudad del Este, rumo à Trinidad. A estrada é boa e após 30km estávamos nas espetaculares ruínas. Outros 12 km e chegávamos à Jesús de Tavarangue. É bom parar primeiro em Trinidad pois as ruínas de Jesús fecham mais tarde. Ao sairmos destas últimas fomos abordados por um policial que exigiu a apresentação de documentação. Após uma breve avaliação dos papéis fomos liberados para retornar à nossa viagem, rumo à Posadas. Foi um dia de fortes emoções, e três fronteiras internacionais transpostas.

7° Dia – Posadas/ San Ignacio Miní/ Foz do Iguaçú

Distância percorrida 336 km      Total percorrido        2.565 km

11:00 – Saída para San Ignacio Miní

12:30 – Chegada à San Ignacio Miní

15:30 – Saída para Foz do Iguaçú

18:00 – Chegada à Foz do Iguaçú

Um dia tranquilo de viagem através de boas estradas. Chegar às ruínas de San Ignacio Miní é fácil e rápido. Para quem estiver em Foz é perfeitamente viável ir e voltar a San Ignacio no mesmo dia. Após visitarmos as quatro missões jesuíticas guaranis é tempo de relaxar antes da volta à São Paulo.

8° ao 11° Dias – Foz do Iguaçú

Distância percorrida 322 km      Total percorrido        2.887 km

Foz possui uma boa estrutura para o turista. O Parque Nacional do Iguaçú, o Parque das Aves e Itaipu são exemplares. Na vizinha argentina, Puerto Iguazu, além do excelente Parque Nacional do Iguazu, existem bons (e baratos) restaurantes como o La Rueda, o cassino e o Duty Free onde as bebidas são os produtos mais em conta. Também há boas lojas de vinhos na cidade. O único incoveniente é a perda de tempo na aduana argentina. Gasta-se no mínimo meia hora para ir e outro tanto para voltar. Quanto à Ciudad del Este, confesso que nem cheguei perto da ponte da amizade.

1 Dias – Foz do Iguaçú/ Curitiba

Distância percorrida 643 km      Total percorrido        3.530 km

11:00 – Saída para Curitiba

13:00 – Parada em Cascavel para almoço

19:00 – Chegada à Curitiba

O dia em que percorremos a maior distância. Viagem cansativa com muito movimento na estrada nos dois sentidos. Chegada em Curitiba à tempo de um rápido lanche no Kahrina. Ok.

13° Dias – Curitiba/ São Paulo

Distância percorrida 528 km      Total percorrido        4.058 km

11:00 – Museu Oscar Niemeyer

13:00 – Saída para São Paulo

17:00 – Trânsito na Serra do Cafezal nos faz desviar por Juquiá e Piedade.

20:20 – Chegada à São Paulo

Antes de iniciarmos o último trecho de nossa viagem, uma parada para conhecer o Museu de Niemeyer, um passeio imperdível em Curitiba. Em seguida estávamos na Régis no sentido de São Paulo. Mas tivemos que enfrentar mais uma aventura: a infeliz Serra do Cafezal. Este o único trecho ainda, incompreensivelmente, não duplicado da estrada que liga duas das mais importantes capitais do Brasil, o que gera constantes engarrafamentos. Para fugirmos de ium deles optamos pela Rodovia Ten. Celestino Américo, que liga Juquiá à Sorocaba. A estrada é tão bela quanto perigosa. O movimento era intenso e mal se conguia chegar aos 30km/h. Conclusão mais de três horas para chegarmos ao nosso destino.

Finalizamos o roteiro com 4058 km percorridos, consumo médio de 10,2 km/l e  gasto de R$ 1.277,00 em combustíveis  (para cinco pessoas a bordo). Uma última sugestão é a instalação do Sem Parar/ Via fácil, pois são inúmeros os pedágios ao longo da jornada.

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em Viagens e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

8 respostas para Roteiro de carro pelas ruínas das missões jesuíticas guaranis

  1. Eveline disse:

    Caro Marcos,
    Seu relato foi muito útil. Vou com a família a Francisco Beltrão (Paraná) a trabalho e, de lá, tentaremos fazer parte do roteiro que você fez: Santo Ângelo, São Miguel das Missões, Posadas (ponto a partir do qual visitaremos as Missões do Paraguai e da Argentina), Foz do Iguaçu. Então, 3 perguntas: 1) Entre São Miguel e Porto Xavier que estradas devemos percorrer? 2) Indica algum mapa para os trechos São Miguel – Porto Xavier – Posadas? 3) De Foz, pensamos em seguir para São Paulo pela estrada que passa por Maringá e Londrina, pois não conhecemos ainda essa região. Você conhece a estrada? Poderia nos dar dicas? Obrigada!!
    Eveline

    • Cara Eveline,

      Para ir de São Miguel à Porto Xavier você deve pegar a BR 285 à esquerda no sentido de São Luiz Gonzaga, entrar à direita na RS 168, até chegar à BR 392 à esquerda no sentido de Porto Xavier.
      Mapa eu uso o Google Maps, ainda que neste caso específico ele seja falho, pois não indica a balsa para a Argentina.
      Usei também o mapa do Guia 4 Rodas e funcionou muito bem, pois ele inclui as estradas na Argentina e no Paraguai.
      Em todo o caso o trecho, inclusive do lado argentino, é bem sinalizado.
      No Paraguai é um pouco mais complicado atravessar a cidade de Encarnación.
      Sugiro que você busque informação na aduana em Encarnación (na ponte que liga à Posadas).
      Mas é tranquilo.
      Quanto ao trecho de Foz/Sp por Maringá eu não conheço.
      Fique atenta pois nas próximas semanas irei postar sobre as ruínas que visitei.
      Obrigado por ler o Blog e Boa Viagem.

      Abraços,
      Marcos

  2. M.lourdes hubner disse:

    Caro Marcos, parabéns pelo roteiro tão bem detalhado. Pretendemos ir além das Missões, até
    o Uruguai, mas para a primeira etapa do caminho suas informações são preciosas.
    lourdes hubner

  3. Nilson Silva disse:

    Vou em novembro ate Passo Fundo de avião, pretendo seguir seu roteiro vou locar um veiculo para realizar o percurso,vc pode me ajudar explicando como retirar a carta verde,Sera que terei ploblema em ir com carro locado.passa tambem os telefones das pousadas ou hoteis os quais vcs ficaram,
    Obrigado.

    • Olá Nilson. Até onde sei não é possível andar mais do que 50km fora do Brasil com carro alugado. Ou seja não seria possível fazer este roteiro com carro alugado. Recomendo verificar com a sua locadora antes de confirmar o aluguel. Boa viagem!

  4. Luiz disse:

    Caro Marcos, bom dia… Sou de Casa Branca, 120 km depois de Campinas> Seu relato mt me esclareceu. Vou à Posadas em Dez/16 num casamento e por coincidência, pretendo fazer um trajeto semelhante, incluindo Pomerode, Brusque e Nova Trento, inclusive subir a Serra do Rio do Rastro. Só gostaria de saber mais um detalhe. Você fez reservas em hotéis? Estou vendo as reservas pelo site “Booking.com”. Pareceu-me uma boa opção. Caso vc tiver mais detalhes e se quiser e puder, me passe. Mt grato / Um abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s