Embrapa

Durante o Simpósio Nacional de Microrganismos em Agroenergia (SIMA), um novo coquetel enzimático para produção de etanol de 2ª geração (2G) será apresentado pela professora Elba Bon, do Laboratório de Tecnologia Enzimática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Segundo a cientista, o produto obtido pela sua equipe é tão eficiente quanto os hoje disponíveis no mercado, com a vantagem de ser uma tecnologia brasileira e de menor custo.

O etanol 2G, também chamado lignocelulósico, é produzido a partir de materiais como o bagaço de cana-de-açúcar, o capim, o eucalipto e outros resíduos que contém celulose. O problema é que, nesse tipo de biomassa, os açúcares não estão prontamente disponíveis para fermentação como no caldo da cana (matéria-prima para etanol brasileiro de 1ª geração). É preciso liberar esses açúcares, por meio de processos como a hidrólise, que utiliza enzimas produzidas por microrganismos.

No Simpósio, a pesquisadora da UFRJ também apresentará uma avaliação geral dos fungos e leveduras mais utilizados nos estudos para produção de etanol 2G. Para Elba, atualmente, as pesquisas com microrganismos voltadas para agroenergia têm dois desafios principais, relacionados ao etanol 2G: reduzir o custo das enzimas empregadas no processo de produção e conseguir fermentar os açúcares de cinco carbonos (principalmente xilose). Ela espera que o Simpósio contribua para a integração dos grupos de pesquisa que atuam no tema.

O evento é promovido pela Embrapa Agroenergia, com o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), da Fundação Eliseu Alves e das Sociedades Brasileiras de Microbiologia (SBM), Genética (SBG) e Micologia (SBMy). Será realizado nos dias 11 e 12 de abril, na Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), que fica no campus da Universidade de Brasília (UnB), na capital federal.  As empresas Bruker Daltonics e Sinc do Brasil patrocinam o Simpósio.

Palestrantes de instituições nacionais e estrangeiras participarão do Simpósio. A programação está organizada em três grandes temas: acesso ao patrimônio genético microbiano, novas tecnologias para produção de biocombustíveis e microrganismos para produção de químicos renováveis.

As inscrições custam R$ 200,00, com direito a almoço nos dois dias do Simpósio – estudantes têm desconto de 50% e deverão apresentar documento comprobatório de matrícula em 2012 na recepção do evento. O formulário e as instruções para inscrição estão disponíveis em: http://www.cnpae.embrapa.br/eventos/simposio-nacional-microrganismos. No mesmo endereço, é possível conhecer a programação do evento. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail micro-agroenergia.cnpae@embrapa.br.

Anúncios

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Link | Esse post foi publicado em Ciência & Tecnologia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s