A cortina de fumaça sobre o pico do petróleo

Luis Nassif Online

Por Almeida

Notícias do Pico do Petróleo.

O semanário científico Nature publicou, na sua edição de 26 de janeiro de 2012, um artigo intitulado Política climática: O ponto de inflexão do petróleo foi ultrapassado (Climate policy: Oil’s tipping point has passed). O artigo está disponível para assinantes.

Os autores do artigo são James Murray, que trabalha na Escola de Oceanografia de Washington, em Seattle, ligado ao assunto das mudanças climáticas, e David King, diretor da Smith School of Enterprise and the Environment de Oxford.

A relevância do artigo reside na importância da revista que o acolhe, os autores abordam de modo furtivo o tema Pico do Petróleo, que chamam de “ponto de inflexão do petróleo”, uma forma de amenizar a apresentação do fenômeno geológico. Se faltou coragem para tratar o assunto pelo nome certo, sobrou desonestidade em não citar estudos, gráficos e argumentos produzidos pela comunidade que estuda o Pico do Petróleo.

p>Nature tem uma capacidade de divulgação muito ampla. A repercussão do artigo foi imediata e tem o mérito de divulgar, aspectos chaves que a comunidade do Pico do Petróleo há anos vem tentando furar, no bloqueio midiático sobre o tema.

O Pico do Petróleo é uma questão central para a humanidade, dita consequências mais imediatas na economia do que a badalada mudança climática. Esta, a meu ver, é usada como literal cortina de fumaça, uma discussão dissimulada que esconde o problema real da queima. O título do artigo na Nature mostra, a forma oblíqua como o esgotamento dos combustíveis fósseis é tratado, ele é apresentado como “Política Climática”. Onde há fumaça, há fogo. Ninguém está disposto a parar de queimar, então ficam discutindo os possíveis efeitos da fumaça, adiando a questão substantiva: e quando não tiver mais o que queimar?

No vídeo a seguir, o programa da ABC, TV australiana, viaja de Paris a Londres e até à Luisiana para observar a prospecção de petróleo em águas profundas. Mostra que já chegamos ao pico do petróleo e dá uma ideia de como será daqui para a frente.

ABC Catalyst: Notícias do Pico do Petróleo.

B810UWn4MYI

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em Economia e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s