Após assassinato, MPF pede proteção a testemunhas de rota ilegal de madeira

Rede Brasil Atual

Por: Redação da Rede Brasil Atual

São Paulo – O Ministério Público Federal pediu à Polícia Federal proteção para testemunhas que denunciaram uma rota de retirada ilegal de madeira da Reserva Extrativista Riozinho do Anfrísio e da Floresta Nacional Trairão, no Pará. Um dos denunciantes, o líder comunitário João Chupel Primo, de 55 anos, foi assassinado no último sábado (22) em Miritutuba, no município de Itaituba, com um tiro no cabeça. Segundo o MPF, dois dias antes Primo esteve na MPF dando detalhes sobre a operação.

“Para o MPF, o crime tem relação direta com as denúncias que Chupel fez em Altamira. Ele já havia registrado boletins de ocorrência na Polícia Civil de Itaituba e passado detalhes sobre os madeireiros que agem na região para a Polícia Federal em Santarém e para o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela administração das Unidades de Conservação que estão sendo invadidas por madeireiros”, informou o Ministério Público. “O morto é uma liderança do Projeto de Assentamento Areia e, de acordo com ele, os madeireiros vinham usando o assentamento como porta de entrada para as matas ainda relativamente preservadas que fazem parte do Mosaico de Conservação da Terra do Meio.”

O bispo de Itaituba, dom frei Wilmar Santin, disse que havia encarregado João Primo de fundar uma nova comunidade. “Foi em sua comunidade que realizei as primeiras crismas como bispo de Itaituba.Justamente no dia da crisma em junho deste ano, ele deixou de ser o coordenador da Comunidade Nossa Senhora de Nazaré de Miritituba para poder se dedicar à fundação da nova comunidade”, afirmou o bispo, em nota. “Ele vinha fazendo denúncias sobre grilos de terras e extração ilegal de madeira. Por isso foi assassinado brutalmente com um tiro na testa sábado passado. Quando os defensores da natureza e da legalidade vão deixar de serem mortos? Quando o governo federal colocará pra valer a Polícia Federal para agir no Pará?”, pediu o religioso.

http://www.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/2011/10/apos-assassinato-mp-pede-protecao-a-testemunhas-de-rota-ilegal-de-madeira

Anúncios

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em Espaço Sustentável e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s