A igreja da Pampulha

A igreja de São Francisco na Pampulha em Belo Horizonte, é uma das mais importantes obras de Oscar Niemeyer. Pela primeira vez Niemeyer utiliza a maleabilidade plástica do concreto armado em sua plenitude, através das cascas parabolóides que dão forma ao conjunto. A nave principal e mais alta na fachada frontal e vai descendo até se encontrar com a casca do altar. Esta é, neste ponto, ligeiramente mais alta que a nave principal, o que permite a entrada de luz natural sobre o altar, que é dominado pelo mural de Candido Portinari. O programa e a organização das igrejas tradicionais são respeitados por Niemeyer: nártex, campanário, altar, sacristia e coro estão presentes. A igreja é plena de citações às igrejas barrocas mineiras, mostrando uma grande sensibilidade histórica. A começar pela forma parabolóide das cascas que ecoam os arcos e coberturas abobadadas. O rigor da composiçào ótica que permite que a parte mais baixa da casca da nave principal enquadre com perfeição o mural de Portinari no fundo do altar, cuja autonomia espacial também remete às capelas-mor barrocas. Talvez a citação mais explícita seja encontrada no balcão do coro, formado pela concordância de três suaves curvas, tal qual podemos encontrar também na Igreja de São Francisco de Aleijadinho em Ouro Preto, e em tantas outras igrejas do mesmo período. O desenho que utilizamos, do clássico livro de Henrique Mindlin, mostra, equivocadamente, um balcão de projeção reta.

Cabe ainda citar as inestimáveis colaborações do paisagismo de Burle Marx, do cálculo estrutural de Joaquim Cardozo, dos murais e azulejos de Portinari, dos painéis de Paulo Werneck, e dos baixos-relevos de Alfredo Ceschiatti. Uma verdadeira seleção da cultura modernista no Brasil.

Corte da Igreja da Pampulha: MINDLIN, Henrique E. ” Arquitetura Moderna no Brasil”. Rio: Aeroplano, 1999

Planta da Igreja da Pampulha: MINDLIN, Henrique E. ” Arquitetura Moderna no Brasil”. Rio: Aeroplano, 1999

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em História da Arquitetura e marcado , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A igreja da Pampulha

  1. Ivone Szabo disse:

    Linda.

  2. Ivone Szabo disse:

    Lindo.

  3. Fausto Borges disse:

    As ilustrações de Paulo Werneck é a melhor parte dessa igreja, ele consegue colocar mais vida nas construções de Oscar niemeyer. O azul é a melhor parte.

  4. Juliana disse:

    essa construção é simplesmente incrível!
    Obrigada por disponibilizar a planta baixa e o corte, mas você
    tem mais alguma planta? fachada?

    Sou estudante de arquitetura e
    estou fazendo um estudo em relação à essa obra.
    É bem difícil achar estudos dela.

    Tens como me enviar mais alguma coisa?
    Grata desde já!

    • Muito obrigado Juliana. Infelizmente eu não tenho a fachada da Igreja da Pampulha. Mas você pode encontra-la no Livro Stamo Pápadaki sobre o Oscar. Procure na biblioteca de sua faculdade.

      Abraços,
      Marcos

  5. Pingback: Pesquisar 4 projetos com conceitual de dunas e montanhas | Arquitetando com H.S

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s