Conversão à energia verde custará 76 trilhões de dólares ao planeta até 2050

Opera Mundi

A completa conversão do planeta ao consumo de energia com tecnologias verdes custaria, caso efetivamente  76 trilhões de dólares até 2050. O cálculo foi divulgado nesta terça-feira (05/7), em Genebra, pelo Ecosoc (Conselho Econômico e Social da ONU).

Nos próximos 40 anos, mais da metade desse valor, equivalente a 1,1 trilhão de dólares ao ano, terá que ser investido nos países em desenvolvimento para atender à crescente demanda de alimentos e energia, de acordo com o relatório.

O subsecretário-geral de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, Sha Zukang, ressaltou a necessidade de executar esta conversão “o mais rápido possível” para “pôr fim à pobreza e reverter os efeitos catastróficos da mudança climática”.

No entanto, Zukang admitiu que a tarefa é “árdua”, já que atualmente são investidos apenas 100 bilhões de dólares ao ano em tecnologias ecológicas. Ele também lembrou que 30 ou 40 anos é um prazo muito pouco para conseguir uma transformação tecnológica de tal envergadura, visto que as principais transições anteriores neste campo ocorreram em um prazo de 70 a 100 anos.

“A mudança teria o mesmo impacto socioeconômico que a primeira revolução industrial”, afirmou.

Hoje, 90% da energia é gerada através de combustíveis fósseis, responsáveis por 60% das emissões de dióxido de carbono (CO2).

Segundo o relatório, a conversão para as energias verdes é “fundamental” para se chegar a níveis de vida satisfatórios nos países em desenvolvimento, especialmente entre os 1,4 bilhão de pessoas que vivem em extrema pobreza e as 2 bilhões de pessoas a mais que se espera que habitem o planeta até 2050.

Além disso, para o responsável da ONU, a revolução da tecnologia ecológica deverá se basear na cooperação internacional, já que a maioria das novas tecnologias verdes pertence aos países avançados e, portanto, são mais caras para as nações em desenvolvimento.

Zukang considerou que a cúpula Rio+20, que acontecerá no Brasil em junho de 2012, será uma oportunidade para firmar acordos neste âmbito. Além disso, possibilitará que os países se comprometam a desenvolver políticas em nível nacional para abrir caminho à conversão do planeta às tecnologias verdes.

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticia/CONVERSAO+A+ENERGIA+VERDE+CUSTARA+76+TRILHOES+DE+DOLARES+AO+PLANETA+ATE+2050_13280.shtml

Sobre Marcos O. Costa

Arquiteto Urbanista formado pela FAU Mackenzie com mestrado em estruturas ambientais urbanas pela FAUUSP. Associado à Borelli & Merigo, onde desenvolve projetos nas áreas de edificações e urbanismo. É professor da FAAP e da Escola São Paulo. A publicidade exposta neste Blog é de responsabilidade da Wordpress
Esse post foi publicado em Espaço Sustentável e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s